sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Sobre possíveis entreveros na Série B


A Série C desse ano teve alguns resultados finais surpreendentes. Enquanto muitos esperavam o Paysandu, este caiu em plena Curuzu ante o Salgueiro, que ficou com o acesso. Pior foi o Fortaleza, que durou pouco na competição, ficando na 1ª fase. O acesso do Críciuma foi escorado pelo bom planejamento, mas fundamentalmente, pelo apoio de sua torcida. Apoio que não faltou ao campeão, o ABC de Natal, que conquistou o primeiro título a nível nacional do futebol potiguar. Título que foi conquistado ante o surpreendente Ituiutaba, equipe do interior de Minas Gerais, que contrariou a todos os prognósticos e subiu.

E novamente o Ituiutaba surpreende, só que de maneira preocupante. A equipe manda seus jogos no estádio da Fazendinha, com capacidade para 3, 840 espectadores sentados, e os números que encontramos sobre sua capacidade vão de 5,000 a 8,000. Nas fases finais da Série C, mandou seus jogos em Uberaba. Com a felicidade do acesso, um detalhe foi ignorado. O estádio da cidade passava longe da exigência da CBF para a Série B; 10,000 lugares para pessoas sentadas. Com isso, surgiram vários boatos. O primeiro, e mais improvável, é que o time desistiria da vaga. O segundo, mais sólido, é a mudança de cidade. "Mas o estádio não pode ser ampliado?" você nos indaga. Sim, pode, tanto que o senador Hélio Costa (PMDB) disponibilzou R$ 585 mil para a cidade, através de ofício enviado ao vereador André Vilela. Em relação a esse dinheiro, nada foi feito, mas existem relatos de outras verbas que foram enviadas para esse fim, mas que foram recusadas por motivos políticos, sobretudo pelas autoridades municipais serem de partidos opostos aos dos membros das diversas câmaras federais que se envolveram.

Várias cidades já se disponibilizaram para receber o time, e o nome de Varginha está muito forte. Vários meios de comunicação locais tentaram entrar em contato com a direção do clube, mas ninguém conseguiu falar com eles.

A questão trancende esse ponto. Mesmo se o Ituiuaba não subisse, não poderia jogar a Série C, pois a exigência de lugares sentados foi para 5,000, e isso estava estipulado desde 2007. Nessa Série B vimos médias de públicos baixíssimas, e cremos que 10,000 lugares é uma exigência um tanto quanto exagerada para a competição.

Qualquer novidade, vocês saberão. Mas torcemos que o time possa disputar a Série B, em Ituiutaba.

Sobre a Partida Galícia e Palestina

Como divulgamos anteriormente, haveria uma partida em Ourense, Galícia, entre as seleções da Galícia e da Palestina, e que várias dificuldades estavam no caminho. Bem, o jogo ocorreu, mas não sem problemas. As duas seleções não puderam contar com todos seus jogadores, então os galegos recrutaram jogadoras da seleção feminina, por sua vez, os palestinos chamaram membros da comunidade palestina na Espanha. O estádio lotou, ainda que sua capacidad fosse de somente 1300 pessoas.
Mas no final das contas, deu tudo certo, e há promessa de que muitos outros jogos do tipo sejam realizados, e torçemos para que isso ocorra, e que a luta do povo palestino por liberdade possa ter sucesso, assim como uma série de lutas de tantos outros povos que sofrem com a opressão.
Aí vão links de alguns vídeos que fizeram sobre o evento. Infelizmente, nínguem os legendou para o português, mas com um pouco de esforço, da pra entender. Aí vai;

Pacotão



O Batatais, time da cidade homônima, que está na Série A3, visando chamar a torcida, elaborou um plano de pacote de ingressos. Funcionará da seguinte maneira; R$100 dão o direito de ver todos os jogos em casa da Série A3, e outro de R$500, que será de cadeira cativa, de janeiro a dezembro de 2011. Além disso, elaborou uniformes comemorativos que remetem a década de 40. São iniciativas iniciativas válidas, tendo em vista o baixo índice de público e renda da competição, e ao que parece, os torcedores viram com bons olhos a medida.

Para o Futebol "Alternativo"

Uma boa notícia para o futebol dito alternativo, aquele que não conta com o apoio da grande mídia, e têm de conviver com outros problemas do genêro. A TV Brasil conseguiu um acordo com a CBF e irá transmitir a Série C do Campeonato Brasileiro 2011 por inteiro. Esse ano, transmitiram a fase final (só assim pros escritores desse blog conseguirem ver esses jogos, pelo menos em 2010, pois infelizmente, com o rebaixamento do Santo André, poderemos acompanhar a competição de perto), com uma qualidade muito boa, diga-se de passagem.

É uma iniciativa muito boa, pois a Série C e D contêm vários times de massa de diversas regiões do país, além de times que estão crescendo. Isso é um passo contra o monópolio de clubes ligados aos grandes meios de comunicação, e esperamos que a essa medida, outras do genêro possam tomar corpo.

Rumores apontam para um acordo com a FPF pela Série A2 do Campeonato Paulista. Esperamos que dê tudo certo.


ps:colocaremos essa postagem no campo de "pesquisa de cunho investigativo", pois ao terminá-la, vimos que não possuímos um espaço adequado para ela, e como não conseguimos pensar em nada, vamos pô-la lá em caráter provisório-quase-permanente.

Amistoso




Dia 19/01/11, numa quarta-feira, a noite, teremos a chance de ver um amistoso de alto nível. O Uberaba, de Minas, receberá o Defensor Sporting, atual campeão uruguaio. Os ingressos sairão por aproximadamente R$25. O amistoso pode ser ornganizado através de uma ação conjunta da diretoria do USC e da prefeitura municipal. O Defensor receberá cerca de 70% da renda do jogo, mas a diretoria mesmo assim está satisfeita, pois um amistoso de alto nível com um clube brasileiro sairia praticamente o mesmo. Esperaremos para ver esse jogo interessantíssimo.

Copa São Paulo de Futebol Júnior 2011



A Copinha talvez seja uma das competições mais democráticas do mundo. Temos representantes de praticamente todos os estados do Brasil, e mais recentemente, alguns estrangeiros, como o Al-Hilal, da Arábia Saudita.

Apesar da distância, o Al-Hilal veio pra cá sem problemas, pois é um dos maiores clubes do país. Mas aqui no Brasil, muitos clubes do interior passam por uns perrengues danados para chegar em São Paulo. O caso mais recente é o do Nacional de Patos, da Paraíba. O clube ganhou o direito de disputar a competição no campo, e em troca de representar a Paraíba no certame, recebeu a promessa do governo do estado de que todas as despesas com transporte e hospedagem seriam bancadas, cabendo a diretoria do clube pagamento de salários e outras despesas do genêro.

Mas, o governo do estado está começando a sinalizar que não pretende cumprir a promessa, e o clube do interior do estado dificilmente conseguirá angariar verba para ir até Paulínia, cidade em que jogará a primeira fase da competição.

Quando essa história tiver chegado ao fim, nós informaremos.

domingo, 26 de dezembro de 2010

Acessos

A Segunda Divisão Mineira, que equivale a 3ª Divisão, teve seu fim, já há algum tempo, é verdade, mas sabe como é esse negócio de fim de ano...
Subiram Nacional de Nova Serrana (19 pt), que ficou com o título, a Patrocinense de Patrocínio (19 pt, mas com 5 vitórias, 1 a menos que o Nacional) e o Fluminense de Araguari (15 pt). O Democrata (13 pt) passou perto, enquanto o Varginha fez uma campanha abaixo do esperado (10 pt). O Sport (5 pt) obviamente não fez boa campanha, e terá de esperar mais um ano.
Boa sorte aos promovidos, e melhor sorte para os que ficaram. Ano que vem, essa competição terá mais cobertura aqui da nossa parte.

sábado, 25 de dezembro de 2010

Pela libertação da Palestina



Amanhã, 26 de dezembro de 2010, na cidade de Ourense, será organizada uma partida entre as seleções da Galícia, região autônoma da Espanha, e a seleção da Palestina, visando mostrar apoio a causa do reconhecimento do Estado Palestino.


Mas como não poderia deixar de ser, vários ataques foram lançados desde o anúncio da partida. Vários dirigentes de clubes da região, como o Deportivo la Coruña e o Celta de Vigo, não permitiram que os atletas galegos fossem para a seleção. Alguns atletas, temendo represálias, não quiseram participar, mesmo aqueles que confirmaram presença anteriormente, e parte da imprensa condena a atitude.


A isso seguiu-se uma grande mobilização, e provavelmente, teremos a partida. Desejamos boa sorte a essa empreitada, e boa sorte ao povo palestino, além de tantos outros, que consiga triunfar em sua luta.

Festividades

Desejamos um bom final de ano, e um 2011 ainda melhor que 2010. Agradeçemos a todos que passaram por aqui, e pedimos que continuem passando. Também agradeçemos a todas as pessoas que gentilmente nos atenderam. Fundamentalmente, desejamos paz e felicidade pra todo mundo!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Sobre Direitos Televisivos e outras coisas

2011 ainda não chegou e já vemos brigas, no que diz respeito a horários e coisas do gênero. Dia 26 de janeiro, uma quarta feira, o Noroeste recebe o Bragantino. O problema, como ficou claro na frase anterior, é o horário; 17:00. Considerando que a maioria dos trabalhadores sai 18:00, 19:00 e por aí vai, é plausível esperar que o Alfredo de Castilho estará quase vazio.
A diretoria do Noroeste entrou com recurso na FPF, e ouviu um "não alteraremos o horário, pois a detentora dos direitos televisivos, a TV Globo, assim não o quis". O problema é o seguinte, os clubes do interior jogam todas suas fichas no torneio estadual, que querendo ou não, possui uma visibilidade bem maior que as divisões inferiores do Campeonato Brasileiro ou a Copa Paulista. Eles dependem dessa renda, que pedem antes mesmo do começo do campeonato para equilibrar suas contas, e depois tem de passar pelos mandos e desmandos da Globo, que no final das contas, é que manda no campeonato, cabendo a FPF apenas organizá-lo.
Alterar o horário do jogo atrapalharia os planos de pay-per-view da emissora. Os clubes recebem por isso, pouco, muito pouco, mas recebem. O problema é que com o estádio vazio, os clubes continuam a receber pouco. Em alguns casos, o pay-per-view rende mais que a bilheteria, pois o clube não tem uma torcida muito numerosa. Isso por que após o estadual, os jogos que são transmitidos para a cidade são dos times da capital, times que recentemente fizeram um acordo com o Globo, que exlcuía os outros times. Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo receberão R$9,2 milhões esse ano, e R$11 milhões nos próximos anos, enquanto os demais receberão R$1,2 milhão, incluindo equipes tradicionais como Portuguesa e Ponte Preta.
Em outros países, canais comunitários de comunicação trasnmitem as partidas dos times da região. Claro que existem grandes conglomerados da comunicação, mas há espaço para canais alternativos de informação. No Brasil, esse espaço não é garantido. Poucos grupos têm muito espaço, e não é preciso falar que esses grupos são ligados ao grande capital, propagando uma cultura massificadora. Isso é natural do capitalismo.
Também não se pode excluir a falta de visão, ou de competência mesmo, dos dirigentes do interior. Fazer futebol profissional nesse meio é difícil, por isso requer muita competência e coragem, algo que não é muito visto. Da parte da FPF, não existem dúvidas de que muitos de seus diretores possuem interesses atrelados aos dos grandes grupos.
Em âmbito esportivo, isso cria um abismo quase intransponível. A última equipe do interior que faturou o Campeonato Paulista contra um time da capital foi a Inter de Limeira, que venceu o Palmeiras em 1986. São José, Botafogo de Ribeirão, e mais recentemente, Santo André, que não é do interior, mas que foi roubada de tal maneira que muitos santistas se sentiram constrangidos. Tal abismo irá acabar com o que resta de dispusta, diminuirá o interesse por esse campeonato, e consequentemente, diminuirá o lucro, lucro que rege o futebol. Se não houver lucro, não compensa haver dispusta.
Muitos defendem o fim dos estaduais, pois dizem que atrapalha o calendário, o tornando muito corrido. Acabar com os estaduais seria acabar com as equipes do interior. Muitos falam em adotar o modelo europeu, de que 3, 4 divisões são nacionais, e as outras são regionais, e os vencedores das divisões regionais ingressam nas nacionais. É assim na Inglaterra, na França, em Portugal, todos países com um território menor do que de muitos estados brasileiros. Na Rússia também é assim, mas se considerarmos o baixo nível habitacional do leste do país, que possui um clima frio de rachar, e se também considerarmos o aporte financeiro que os clubes lá possuem, o argumento de que dá pra fazer o mesmo no Brasil cai por terra.
Os estaduais, como estão dados, prejudicam sim o calendário, mas entre acabar com eles, ou remodelá-los, a segunda opção é a mais cabível, mas como estamos falando do grande capital, matar essas equipes é o mais viável.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Sertão



As equipes do interior do Brasil, geralmente, começam a preparação para o campeonatos estaduais, muito, mas muito cedo. Isso ocorre em qualquer lugar, e de diferentes maneiras.

O Petrolina, equipe que vai disputar o a 1ª Divisão do Pernambucano pela primeira vez, credenciada pelo título da 2ª Divisão, contratou uma série de jogadores, inclusive o renomado e experiente atacante Nego Pai, que se destacou em várias equipes da região, visando montar um time tarimbado pra competição. Mas a Fera do Sertão também optará por um caminho que já não é muito visto no futebol brasileiro; os campeonatos amadores. A diretoria do clube firmou um acordo com a prefeitura, que auxiliará na organização de um campeonato amador municipal, incentivando jogadores jovens a participar e mostrar o que sabem, ou jogadores não tão jovens, mas que também sabem.

Isso traz vários benefícios. Peneiras continuarão a ser feitas, mas poder analizar determinado atleta por uma série de jogos permite uma observação mais exata. Além é claro, de que esses jogadores não virão junto de empresários.

Para fazer um bom campeonato, além disso tudo, o Petrolina apostará no fator casa. O estádio Paulo de Souza Coelho é acanhado, têm capacidade para 5 mil pessoas, mas é no calor do sertão que o time aposta. Nego Pai já avisou que o trio de ferro (Náutico, Santa Cruz e Sport, todos do Recife) não vai suportar o calor, que as 17:00, parece que é 12:00...se bem que no dia que ele disse isso estava chovendo muito, e fazendo um frio lascado...
Seja como for, gostamos muito dessa inovação não tão nova, e desejamos boa sorte ao Petrolina

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Entrevista - Guaratinguetá FC

Hoje temos uma entrevista com Marcelo Roma, um dos idealizadores do projeto de formação do Guaratinguetá FC. Como todos sabem, lamentavelmente, o Guaratinguetá Futebol Ltda, comandado pela empresa Sony Sports, abandonou a cidade em que estava sediado e foi para Americana, interessada tão somente no lucro, deixando orfã toda uma cidade. Mas esse projeto visa formar um time que jamais abandonará sua terra. Aí vai;

- Antes de tudo, muito obrigado pela atenção. Como vocês receberam a notícia de que o Guaratinguetá iria mudar de cidade, e abandonar toda a sua história, e principalmente, seus torcedores?

R - Essa notícia surgiu alguns meses antes de se tornar realidade. Aconteceu em maio, durante a fase do quadrangular final da Série A2 do Campeonato Paulista 2010, então o dono do até então Guaratinguetá ($ony, dono da empresa Sony Sports, esse cifrão é de autoria do entrevistado, e nós concordamos com isso) veio por meio da imprensa dizer que o Guará era de Guará, e que esse assunto de mudança de cidade era boato. O Guaratinguetá conseguiu o acesso e inclusive vendeu camisas que enganaram e fizeram o torcedor acreditar dizendo que de fato isso era verdade, principalmente pelos dizeres "o Guará está de volta!Paulistão 2011", e assim tudo ficou quieto.

O Campeonato Brasileiro da Série B começou e o Guará estava fazendo excelente campanha, até liderando por duas rodadas, mas após o mês parado para a Copa do Mundo, a Série B voltou, o técnico Roberval Davino foi demitido sem enterdemos o motivo, e assim trouxeram o fraco Roberto Fonseca, que foi quando a notícia de mudança de cidade se tornou forte. Nós, torcedores, não ficamos de braços cruzados, e fizemos de tudo para segurar o Guará em nossa cidade, até reunião com a FPF com o Marco Polo del Nero foi realizada, mas infelizmente o mesmo não pôde nos ajudar, pois a Lei Pelé barrava qualquer ação da Federação. Continuamos fazendo movimento para tentar segurar o time, tentamos mexer com o emocional do Sony mostrando o quanto o Guará era importante pra gente, fomos atrás de empresários para tentarmos assegurar apoio para o time, mas nada adiantou.
Após a mudança, crianças e idosos ficaram doentes, adultos choraram que nem crianças, e a torcida continou fazendo protestos, principalmente indo para o estádio para torcer contrae tentar fazer o time do Guará/Americana cair pra Série C, e quase deu certo.
Além disso, muitos processos já foram movidos contra essa mudança.

-Vários torcedores foram até a sede da FPF protestar e tentarem ser ouvidos pelos dirigentes, sendo que alguns destes procuraram o diálogo. Você têm alguma avaliação desse ato?
R - Estava presente nessa reunião, fomos muito bem atendidos pelo presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero. O mesmo colocou-se a nosso favor, disse que particularmente não gosta de clube empresa, e citou que o Guará era o único clube empresa que tinha um bom número de torcedores no Brasil, mas ele não podia fazer muita coisa, pois o Estatuto do Torcedor e a Lei Pelé o impedia de punir o clube que abandonasse sua cidade de origem.


-Na sua opinião, por que isso (a mudança) aconteceu? O que você acha dessa tendência dos clubes empresa mudarem de cidade?
R - A mudança aconteceu de fato pelo dinheiro, para se manter um time gasta-se muito dinheiro, e outra cidade convenceu financeiramente o $ony a mudar de cidade. Ele pode até ter caído no conto de que iria ganhar mais dinheiro em Americana, mas uma coisa eu garanto, o mesmo apoio e vibração de torcedor que ele teve em Guará, ele jamais terá em outra cidade, principalmente em Americana que já existe um amor enorme pelo Rio Branco, um time quase centenário, e que um torcedor de verdade do Rio Branco jamais torcerá por outro time.
Essa tendência dos clubes empresas mudarem de cidade é a pior coisa para o futebol brasileiro, eles iludem o torcedor demonstrando um bom trabalho e uma boa organização, mas na verdade é como se fossem garimpeiros que surgem em determinados lugares, secam toda a mina e a fonte e depois partem para sugar um outro lugar, e assim deixam torcedores apaixonados para trás.


-Não é necessário perguntar como os torcedores se sentiram após a confirmação da mudança. Mas nessa hora, como foi o momento em que vocês se perguntaram o que iriam fazer?
R - A mudança foi como se um parente querido tivesse falecido, talvez até o mais querido deles como foi pra mim. Até então, eu não soube que iria fazer, foi um sentimento de tristeza e abatimento nos primeiros dias que se tornou raiva após alguns dias e passei a ir para ao estádio para torcer contra, claro que sempre de maneira pacífica e não agredindo jogador algum, pois os mesmo não eram culpados pela decisão do dono do time.


-Têm contato com pessoas de Americana? Como você acha que os cidadãos de Americana receberam isso?
R - Tenho contato com o pessoal de Americana, os torcedores fanáticos do Rio Branco são totalmente contra essa mudança e até antes dela ser oficializada nos apoiavam, e depois de concretizada, eles nos enviaram desejos de força, pois realmente é um delicado que precisamos de muita força.
É claro que existem em Americana pessoas que dizem ter gostado da notícia e que demosntraram apoio ao Americana, mas são pessoas que não entendem de futebol, e eu duvido que comparecerão no estádio Décio Vitta para apoiar um clube empresa, ainda sabendo do que eles são capazes de cometer.
- O que acha sobre o Manthiqueira?
R - Acho que esse time ressurgiu em um momento oportunista por um empresário da cidade que já tinha esse time há 5 anos, o mesmo ficou de braços cruzados enquanto fizemos de tudo para segurar o Guará em nossa cidade, e após essa mudança de cidade, o empresário ressurgiu com esse time, aproveitando a desgraça do torcedor do Guarátinguetá.
Vejo o empreário construindo um CT aqui em nossa cidade, e irá oferecer uma boa estrutura e uma boa chance para aos atletas da cidade, e isso é muito bom para quem conseguir se beneficiar disso, mas eu vários torcedores jamais repetiremos o erro de torcemos por mais um clube-empresa, pois insistir no erro seria uma burrice enorme.
- A idéia do Guaratinguetá Fc sempre esteve presente desde que a mudança foi oficializada, ainda que de maneira implícita. Como foi dar corpo a esse projeto?
R - Ainda estamos em processo de dar corpo a esse projeto, isso requer tempo, dinheiro e muito trabalho. Além disso, esse projeto está aliviando nossa dor de torcedor. Estamos atrás de pessoas que se interessam em nos ajudar, e junto com torcedores com nós, que sempre apoiaram o Guaratinguetá debaixo de sol e chuva, e que não ficaram de braços cruzados esperando o nosso time ir embora, portanto quem encabeça esse projeto são os torcedores que sabem o que é amar um clube de futebol, nesse caso, o Guaratinguetá.
- Todos nós estamos otimistas em relação ao Guaratinguetá, e pessoalmente, quero muito vê-lo. Há uma previsão de quando tudo fique pronto e o time ingresse no Campeonato Paulista?
R - E eu garanto pra você, iremos fazer de tudo pra colocar esse time em campo já em 2011, e se naõ der certo, em 2012 esse time voltará com uma força que jamais teve antes.
- O Guaratinguetá FC terá qual modelo de gestão?
R - Será o velho e antingo modelo de gerir um clube, pois percebemos que o clube-empresa tem a vantagem na hora de tomar decisões, mas o dinheiro corrompe que o coloca acima de tudo. E do modo tradicional de gerir um clube, quando conseguimos unir torcedores que são amigos, e que amam o clube acima de muita coisa, o negócio fluirá melhor que qualquer clube empresa que exista.
Agradeçemos a gentileza do sr. Marcelo Roma em atender esse humilde blog, e desde já desejamos boa sorte ao Guaratinguetá FC!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Fonte Luminosa


Uma briga está ocorrendo em Araraquara. Havia um acordo entre a prefeitura da cidade e a Ferroviária de Araraquara de que o estádio da Fonte Luminosa (que recentemente passou por uma reforma, que a deixou com potencial de ser um dos melhores estádios do país) que previa que a arena seria cedida por 20 anos para a Ferroviária.

Porém o acordo melou. O prefeito Marcelo Barbieri e seu parceiro político Ronaldo Napelosos revogaram a lei. Os torcedores acusam Barbieri de ter se promovido as custas da Ferroviária, e agora, de prejudicá-la, visando apenas lucrar financeira e politicamente com isso.

Anteriormente, havia a polêmica da Fonte Luminosa ser interditada para reformas para o fim desse ano e o começo do ano que vem, o que prejudicaria a preparação da Ferrinha. A Ferroviária estava parada desde outubro, e os torcedores acusam a prefeitura de prejudicar a equipe por algum lucro, no caso, os jogos que o Palmeiras fez na cidade pelo Campeonato Brasileiro.

Veremos aonde isso tudo vai levar.

Impeachtment e outras coisas

O presidente da Federção Amazonense de Futebol, Dissica Tomáz Valério, perdeu o cargo devido a uma ação do Ministério Público do estado, que acusa irregularidades desde 1985, cinco anos antes dele assumir a presidência da entidade. A FAF terá como presidente interino o advogado Alcebíades Leiros, ex-presidente do Nacional de Manaus, que terá a missão de preparar o terreno para a reestruturação do futebol amazonense, visando colocá-lo num nível compátivel com o de uma sede de Copa do Mundo, como é o caso.
Em 2011, Fast e Penarol serão os representantes do estado na Copa do Brasil, e enfrentarão Fortaleza-CE e Paysandu-PA, respectivamente. Por sua vez, o América, depois do erro primário de escalar um jogador irruglar, perdeu a vaga para o Joinville, e agora soma mais de R$1 milhão de prejuízo, mas a diretoria do América tentará diminuir a multa, que é muito alta para os padrões da equipe.

Paulista Série A3 - Javari

As coisas estão movimentadas pelos lados da Javari. Depois das pendengas já mencionadas (e que estão aqui http://futebolinteriorano.blogspot.com/2010/11/pendenga-na-javari.html), há uma nova.
Visando a disputa da Série A3, a diretoria do clube grená resolveu tomar uma medida, no mínimo, polêmica; tercerizar seu departamento de futebol. A empresa escolhida foi a Planinvest, do empresário Antonio Ruiz Gonsalez, que é o dono do CA Diadema, que já no ano que vem, disputará a Segunda Divisão do Campeonato Paulista.
O gerente de futebol será o ex-jogador Paulo Sérgio (aquele que foi vítima da implacável ira de Edmundo no Paulista de 93, é só procurar no youtube), que já acertou duas contratações; a do volante Gilmar Fubá, que esse ano esteve no Noroeste, e mesmo com 35 anos, mostra um preparo fisíco invejável, e do atacnte Viola, aquele mesmo que estava na Fazenda, tentando ganhar R$1 milhão, sem esquecer de se exercitar.
Os torcedores juventinos não estão muito contentes com isso. Embora o Clube Atlético Juventus englobe não só o time de futebol da Javari, mas também uma sede social, parece que os dirigentes estão mais preocupados com o social do que com o futebolístico. Os torcedores dizem que a diretoria só não acaba com o futebol pois não quer ficar marcada como a que matou um time com 86 anos de tradição.
Só nos resta esperar a Série A3, e ver no que dá, e ter a certeza de que um Viola com um mínimo de preparo físico é melhor do que um Fidalgo na ponta dos cascos.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Ao Galo da Praça da Saudade


Parabenizamos o Atlético Clube Rio Negro, do Amazonas, por completar hoje, 13/12/10, 97 anos. Um dos maiores times do estado, com 18 estaduais, além de uma participação no Campeonato Brasileiro da Série A em 83, além de muitas outras nas outras divisões, hoje o Barriga Preta (apelido dado devido ao fato de uma faixa preta na horizontal na camisa, num local um tanto quanto óbvio) passa por grandes dificuldades, chegando a ser rebaixado para a Série B do amazonense. Mas o time já saiu da 2ª Divisão, com o vice campeonato nesse ano, que foi perdido para o Operário de Manacapuru.


Mas isso é reflexo da situação a qual atravessa o futebol do Norte, que sem o devido suporte, perdem torcedores para os clubes do Sul-Sudeste do país, e vivem num estado de penúria. Todos desejam que o Amazonas volte a ter um bom futebol

domingo, 12 de dezembro de 2010

Mais pendengas


Dissemos que a Santacruzense e a Inter de Bebedouro, 5º e 6º lugar da Segunda Divisão do Paulista, respectivamente, sairiam beneficandas pela desistência de Atlético Araçatuba e Votoraty da Série A3.
Mas algo pode mudar. Força e Portuguesa Santista, 17º e 18º na Série A3, vão entrar com recurso contra a FPF, visando se manter na Série A3. As duas diretorias contataram o advogado João Vicente Gazolla, que vai ao ponto de que as duas equipes que disputaram a mesma divisão das que desitiram deveriam se manter, não duas novas ingressas. Além disso, pergunta qual foi o critério usado pela FPF para definir isso.
Seja como for, isso vai dar pano pra manga...e lembrem-se, vocês saberão de qualquer coisa que vir. Inté mais.

Ainda sobre Guaratinguetá...

Um juiz da cidade, Walter Emídio da Silva, entrou com uma liminar que visa impedir a transfrerência do Guaratinguetá Futebol, que depois passou a incorporar o termo Ltda, para a cidade de Americana. Ele alega que o Guaratinguetá era um patrimônio da cidade, e que em sua saída para Americana, a cidade não ficou com nenhum tipo de reparação. Esse recurso prevê que o empresário Sony Douer terá de pagar uma multa de quase R$2 milhões, podendo chegar até R$35 milhões!!! Pesa contra que a Justiça Desportiva não reconhece intervenções da Justiça Legal, ainda que o time tenha sido fundado em conjunto com o poder municipal da cidade, e que só depois se tornou um clube empresa, com a promessa de Sony de modernizar o clube.
Mas apesar disso, um grupo de torcedores começou a organizar a fundação de um novo-velho time; o Guaratinguetá Futebol Clube, que possuirá os mesmos nome, cores e distintivos do o que foi para Americana, e já estão se articulando no financeiro, para registrar o time, para este disputar a Segunda Divisão Paulista possivelmente em 2012, pois esse tipo de recurso é demorado, e quando ficar pronto, talvez seja tarde para montar toda uma estrutura para o ano que vem. Mas fica nosso apoio a essa iniciativa.
Sobre o Americana, depois do quase rebaixamento a Série C do Brasileiro, a equipe já passa por um desmanche, o que vai dificultar o trabalho do técnico Edinho Nazareth. Sony vendeu apenas a posição do clube, na Série A1 do Paulista e na Série B do Brasileiro, mas os jogadores da empresa terão de ser repassados para outros clubes. O time do Paulistão será composto com a ajuda de empresários da região, e apenas um reforço de peso foi anunciado, o meia Fumagalli, que tentará dar nova vida a sua carreira depois de uma passagem apagada pelo Vasco.

Série B1 2011


Falamos aqui do Tupã FC, que estava promovendo eleições. O resultado dessa foi a vitória da situação, com a presidência de Fabiane Bizo Menezes. O elenco já esta sendo montado, e contará com uma série de atletas que alcançaram o 5º lugar no Paulista sub-20 da 2ª Divisão. Para o ano que vem, outros jogadores estão sendo procurados, e há a promessa da formação de equipes sub-17 e sub-15. Para começar com o pé direito, a diretoria está articulando um amistoso em dezembro com o Linense, da Série A1, e que possem toda uma rivalidade regional.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Entrevista


Bem, esta é uma entrevista com J.C. Passarelli, técnico do E.C. São Bernardo na disputa do Cameponato Paulista Sub-20, no qual o time ficou com a 3ª posição, e que trabalhará no time no ano que vem, na disputa do Paulista da Série B, o Segunda Divisão, visando o acesso para a Série A3. Desde já agradeçemos a atenção dada por esse profissional, e lhe desejamos boa sorte.


1-Bem, antes de tudo, gostaria de agradecer a atenção. Como foi tomar a decisão de ser técnico?R: Fui jogador das categorias de Base do Palmeiras, joguei com Galeano, Marcos, Serginho Fraldinha, dentre outros, mas eu trabalhava no Banco Itaú e estava muito bem na minha carreira profissional tambem, até que com promoções seguidas na Empresa tive que escolher entre a bola e o Trabalho e como na oportunidade o Palmeiras não dispunha de estrutura e tambem não ganhava nada, parti para o trabalho.
Passado o tempo veio a frustração e quando vi na TV o Galeano fazendo sua estréia no Profissional eu chorei o dia todo e iniciei ali os estudos para ser Treinador de Futebol, ou seja há 19 anos atrás.... Mas eu sempre fui um treinador dentro de campo, um líder, capitão, por isso o Dom de ser treinador, ja nasci com isso.... hava visto meu nome de Imperador Romano...rs....

2-Como foi o início? E qual foi seu primeiro trabalho?
O início assim como a da grande maioria dos treinadores é sempre pela categoria de base, sempre pela molecada e como sou uma pessoa que ama muito o Ser Humano, tenho como característica sempre orientar as pessoas pelo melhor caminho, com esse objetivo fui tirando os garotos das ruas e fui sendo campeão em todas as categorias, Mirim, Infantil, Juvenil.... com isso acabei me profissionalizando mais, e fui ser Estagiário do São Bernardo Futebol Clube, quando eu percebi ja estava Eu de estagiário ensiando a todos os meus meios e métodos de trabalho, simplesmente pela aceitação em massa dos jogadores que de repente todos queriam trabalhar comigo.
Com isso o Diretor Dioraci (de quem eu gosto muito) me convidou para fazer parte da equipe de treinadores fazendo um trabalho em uma competição Regional (Diadema) com a equipe de sub-14 que eram jogadores largados como se diz no futebol e não ganhavam de ninguém. Eu acetei e fomos campeões invictos, e a Equipe acabou servindo de Base para os anos futuros do São Bernardo Futebol Clube.
Depois disso fui compôr a Equipe da Copa São Paulo de Juniores sendo Auxiliar Técnico e fomos o 3º Colocado na Copa SP de Juniores - inédito ao SBFC (Tigre) mais uma vez implantando minha metodologia de trabalho da qual o jogador interagi a todo instante.

3-Sobre o EC São Bernardo, este ficou por muito tempo licenciado de competições profissionais. Como você avalia o processo de retorno do clube a tais competições?
É uma alegria muito grande poder ter um clube de 82 anos de vida, voltar a disputar competições oficiais, claro que um retorno depois de um longo período de afastamento necessita de um planejamento e é um trabalho de construção da qual você vai dando corpo aos elencos (Sub-20 e Profissional) depois disso começa o período de colher os frutos, mas precisa de competência para isso, mas principalmente seriedade, honestidade e muita entrega das pessoas que comandam o clube e de toda comissão técnica, mas isso irá ocorrer porque estamos fazendo tudo com muito amor e dedicação e as pessoas da Diretoria do EC São Bernardo hoje, são maravilhosas, pessoas sérias, competentes e fazem o futebol com o mesmo amor que Eu, então o casamento esta perfeito hoje, graças a Deus.

4-Sobre a campanha do 1º semestre, na Série B do Paulista, o São Bernardo não passou da 1ª fase, em que pese todas as dificuldades inerentes de um retorno e da própria competição, que vão desde a falta de exposição na mídia até a dificuldade de se obter recursos. Como é trabalhar nesse cenário, tão comum no futebol brasileiro?
Fui convidado a integrar a comissão técnica do Profissional deste ano (2010) através do Palhinha (ex-São Paulo), quando iniciei os trabalhos percebi que tinham pessoas da Diretoria que afundariam o clube e resolvi não estar mais presente pois acreditava que a coisa não iria acontecer, infelizmente eu estava certo, foi um fiasco, quando todos colocaram a culpa no Palhinha como eu ouvi os comentários e quero aqui dizer que o maior culpado foi um Diretor (do qual não vale nem a pena citar seu nome, nem isso ele merece), que acabou com o Grupo de Jogadores, acabou com todo bom ambiente e integração entre as pessoas, tanto que Eu no fim do 1º Turno resolvi me afastar pois o clima era muito pesado, mas graças a Deus esse Diretor foi mandado embora assim que foi eliminado da competição e pudemos trabalhar com sangue novo e vida nova no nosso SUB-20 que alcançou sucessos.
Sobre a pergunta do cenário de pouca mídia, é comum, mas você não pode se apegar a isso, o importante é saber que se trabalhar com afinco, dedicação e fizer as coisas acontecerem alguém sempre o verá e esse alguém talvez seja a pessoa que você precise que veja e ai tudo muda, tem que fazer sua parte o resto vem como Deus quer.

5-O que têm a dizer sobre a torcida do Bernô?
Sobre a Torcida, agradavelmente são pessoas de excelente nível, são amantes do futebol, são torcedores de verdade, para mim tê-los proximos é um grande prazer, tanto que eu pude trazer das arquibancadas uma pessoa que hoje integra minha comissão técnica que é o Pedro Faian como nosso assessor de Imprensa, tamanha é a qualidade das pessoas de nossa torcida, sinto apenas por estar em pequeno número nos jogos, mas através do nosso trabalho Eu e o Pedro estamos convidando os nossos amigos torcedores a voltarem para proximos de nós, proximos do verdadeiro BERNÔ.
Acredito que pela campanha que fizemos agora, alcançando o 3ºLugar no Campeonato Paulista sub-20 os torcedores possam ver que estamos fazendo um trabalho novo que busca sempre o melhor para o clube e com raça, vontade, seriedade e muito amor.
Poderiamos hoje estarmos em bem maior número mas o fato do Bernô ter ficado licenciado, fez com que surgi-se o outro São Bernardo (Tigre) e a torcida acabou migrando para esse clube por estar representando a cidade, mas vamos trazer de volta os verdadeiros torcedores do nosso time quando eles perceberem que o que fazemos é com muito amor e não com política.


6-O Bernô fez a melhor campanha de sua História no Paulista sub-20. Essa era a perspectativa de campanha desde o começo da competição?
NÃO! A perspectiva da campanha desde o começo quando comecei a planejar o elenco e os trabalhos, era de sermos CAMPEÕES, por isso não me dou por satisfeito, eu trabalhei muito na montagem do elenco, pois cheguei no clube sem ter tido nada de base para o sub-20 e analisei mais de 600 jogadores em testes, por isso eu me dediquei muito, quando nasceu o time do meu gosto e estilo de trabalho eu tomei como objetivo e meta ser CAMPEÃO por isso o 3º Lugar no Campeonato Paulista me trouxe grande tristeza, não existe modéstia no futebo, principalmente em Competições de Alto nível, ou você ganha ou você não é nada. Por isso enquanto eu estiver no ECSB nós teremos sempre a mentalidade de time vencedor, de time campeão, eu exijo isso do meu grupo de trabalho, somos grandes e sempre seremos.

7-Quais são as expectativas para a Série B do ano que vem?
Agora nós temos uma Base, temos uma identidade que trouxemos do nosso elenco sub-20 que será a base para o Profissional, como sou também o treinador da Equipe Profissional, acredito que é um início de trabalho na Série B, talvez não tenhamos o mesmo sucesso no sub-20 mas estou atrás de reforços para que possamos dar mais qualidade, experiência, maturidade ao nosso grupo que é muito jovem para o profissional, mas acredito sim em uma boa participação. Ja no sub-20 proximo acredito no Titulo da competição pois ja temos o elenco formado para o proximo sub-20 isso é o planejamento do clube, assim será com o profissional de 2012, o trabalho precisa ser continuado e dar sequencia ao seu planejamento, se tivessem realizado um bom trabalho no profissional deste ano, talvez seria diferente nossa expectativa. Mas prometo todo o empenho para brigarmos pelo acesso, até porque o que eu faço é a minha vida.

8-Todos os jogos devem ser encarados com seriedade, e a vitória deve sempre ser a meta. Mas houve um jogo seu que foi mais marcante que os demais?
Falando especificamente desse Campeonato Sub-20 eu diria que alguns jogos fizeram história como a vitória de virada por 7 x 1 contra o Palestra SB, mas realmente a vitória por 4 x 1 contra a Mauaense em Mauá foi a mais marcante devido a história do jogo, para resumir, começamos ganhando o jogo por 1 x 0, o time começou a cadênciar o jogo e tocar a bola sem que eu houvesse pedido isso aos jogadores e isso foi me deixando nervoso, quando que por castigo tomamos o gol de empate faltando 10 segundos para acabar o primeiro tempo. Descemos ao vestiário e lá me comportei de forma agressiva verbalmente como nunca houverá se comportado, mas foi necessário, quando voltamos ao 2º tempo, o time estava insinuante e agressivo quando perdemos um de nossos jogadores expulsos, ficamos com 1 jogador a menos e precisavamos da vitória para continuar na briga pela classificação, nesse instante eu percebi a confiança da esquipe Mauaense que poderiam ganhar o jogo, foi quando eu tirei mudei a equipe colocando outro atacante e organizando as posições, da forma como destribuí a equipe nós apenas não tinhamos 1 meia, ficando assim no esquema 4-4-2 com 2 volantes, 1 meia e continuando com 2 atacantes, percebi que a Mauanse viria com tudo pra cima e armei o contra ataque, pois senti a Mauaense anciosa e afobada para fazer o gol, e em apenas 10 minutos meu time ja havia feito a goleada por 4 x 1 com 1 jogador a menos, por isso marcou muito esse jogo. Porque a estratégia deu certo.

9-Quais são as peculiaridades de se trabalhar com garotos, jogadores que ainda estão em processo de formação?
Digo-lhe que não é fácil e não é para qualquer treinador, é preciso se identificar com esse tipo de trabalho pois é necessário muita paciência, ser motivador, dar apoio, ter didática e ser principalmente um psicólogo nato. Mas é muito prazeroso, dá satisfação você poder ensinar e depois ver esse jogador realizando em campo seus ensinamentos. Mas confesso que esse meu tempo ja passou, agora estou voltado para competição de alto nível de rendimento.

10-Você acha que o futebol não só da cidade, mas do ABC, vai ganhar força com a presença de três clubes da região (Santo André, São Bernardo e São Caetano)? Quais podem ser os reflexos para os clubes que militam nas divisões inferiores?
Quando você tem uma equipe rival sua da mesma cidade ou região que ascende a 1ª Divisão você acaba usando-a como referência e se essa equipe chegou a sua tambem pode chegar, então isso cria uma motivação extra, especialmente em mim que tambem ajudei o São Bernardo FC (tigre) a ter sucesso, revelando jogadores como Chuck, Emerson, Rafinha, Danielzinho, Igor (goleiro), Lele, nossa muitos foram.... e tambem colocando o SBFC em 3ºLugar na Copa SP de Juniores em 2007.

11-Qual é a diferença entre trabalhar numa cidade perto da capital ou no interior paulista, que também possui grandes cidades, mas longe de se compararem a SP?
Talvez aqui próximo de SP se pense que tem mais espaço de mídia ou que atraem mais jogadores para os grandes centros, isso é bobagem, não existe diferença para o interior de SP, o que existe é qualidade de trabalho, profissionais capacitados, elencos bem formados, enfim, não existe nada que se faça se não existir conhecimento, seriedade, profissionalismo, isso sim para mim é o que diferencia tudo.

12-Finalizando,que conselhos você pode dar para aqueles que desejam seguir essa carreira?´
Conselho é dificil dar, eu digo-lhes que para vencer nessa carreira não é fácil tem que acreditar muito no que faz, ter suas próprias convicções, não ir pela cabeças dos outros, ter sentimento (feeling) do caminho correto a ser seguido e principalmente ter muito AMOR pelo você faz, não pensar no dinheiro que você pode ganhar e sim nas emoções que você pode viver com o futebol, eu não penso em dinheiro no futebol, penso apenas em viver para ele e me entrego totalmente pelo AMOR que tenho no FUTEBOL e no meu grupo de trabalho pois quando estamos juntos trabalhando não sou EU quem esta lá, SOMOS TODOS NÓS, JUNTOS....

Pré Temporada do Paulistão


Sobre o Paulistão 2011, os times do interior já começam a preparação. Reptindo a receita desse ano, em que foi Campeão do Interior, o Botafogo vai contratar aos montes, contando com cerca de um mês de treinos pesados para entrosar o time. Jogadores em praticamente todas as posições estão sendo integrados. Na defesa, o goleiro Júlio César, campeão da Copa do Brasil em 2004 pelo Santo André, é um dos principais destaques, junto do também goleiro Wanderson, reserva de Édson Bastos no Coritiba, na campanha do acesso para a Série A nesse ano. Outros que jogaram a Série B foram o meia paraguaio, naturalizado boliviano, Pablo Escobar, e a dupla sertaneja Assis (meia) e Assisinho (atacante), por Ponte Preta, América-RN e Icasa-CE, respectivamente. Além destes, outros já vieram, como o zagueiros Dão e Dirceu (este também participou da campanha d acesso do Coritiba), o volante Leandro Carvalho (um dos pilares do acesso do Atlético-GO na Série B de 2009) e o meia Marcinho (com passagem pelo Corinthians em 2009). Isso até agora, pois a diretoria promete mais.
A diretoria se esforça em outros projetos. Contratos com patrocinadores e com um novo fornecedor de material esportivo já estão firmados, o estádio Santa Cruz já foi liberado, e a cidade de Ribeirão Preto será uma das sedes da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

Perdeu

Ontem o STJD (Supremo Tribunal de Justiça Desportiva) executou o julgamento que definiria os futuros de América-AM e Joinville-SC na Série C do Brasileiro. Para quem não se lembra, o América, na partida contra o Joinville, que definiu o acesso para a Série C, escalou de maneira irregular o jogador Amaral Capixaba. A diretoria do América usou o argumento de que o atleta atuou por apenas cinco minutos, mas mesmo assim, o time amazonense foi declarado culpado, se enquadrando no artigo 214 do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Despotiva); "incluir na equipe, ou fazer constar na súmula o em documento equivalente, atleta em situação irregular para participar da partida".

Esse artigo prevê que o time que ignorar esse artigo perderá seis pontos, e quando não for possível aplicar essa pena, será desclassificado. Como a fase era de mata-mata, o América possivelmente será desclassificado. "Possivelmente", pois a CBF ainda não se pronunciou de forma oficial sobre isso. Há o medo da competição ter de voltar a ser disputada em sua fase final, o que amedronta o campeão, o Guarany-CE, que até participou do julgamento do América para defendê-lo, mas não deu.

O ambiente no futebol amazonense está tenso. Ontem relatamos a situação do futuro estadual. Sobre o caso do América, muitos acusam o presidente da FAF (Federação Amazonense de Futebol), Dissica Valério Tomaz. E quanto a diretoria do América, muitos dizem que a gestão da família Teixeira não tem visão, tampouco competência. Amadeu Teixeira, fundador, técnico por mais de 50 anos do time, entre outras funções, está de longe da administração do clube por motivos de idade, e o restante de sua família comanda o clube. A jovem presidente Bruna Parente terá de responder pelo não pagamento do boleto de registro do atleta Capixaba, que culminou no não registro deste pela FAF, e consequentemente, na CBF, o que acabou gerando essa punição. Além disso, há a questão do projeto "Manaós FC", que segundo a empresa que o formulou, só não foi pra frente por causa da diretoria do clube.

Há tempos que não é vista nenhuma equipe de força na região, que teve no início da década o São Raimundo, e nos anos 8o, o Nacional, que continha em suas fileiras o verdadeiro rei, Dadá Maravilha.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Campeonato Amazonense

No Amazonas, o cenário é de esculhambação. A Federação Amazonense está se mostrando extremamente desconexa. O Estadual de 2011 só será disputado por jogadores de até 17 anos, sem contar que por um erro de digitação, conforme alega a FAF, no regulamento do torneio cita que só serão aceitos jogadores nascidos a partir de 1995, ou seja, que só poderão alcançar 16 anos em 2011.

Outra esdruxulidade é a tabela do campeonato, que prevê que alguns times façam o impossível; estar em dois lugares ao mesmo tempo. As vítimas foram o Rio Negro e o Sul América. Nisso, a FAF novamente alega erro de digitação.

Não estamos muito a par da realidade do futebol amazonense, mas cremos que essa medida, de tornar o Estadual um sub-17 não é boa. É certo que a formação de jogadores é importante, mas parte do aprendizado do atleta vem da convivência com jogadores mais tarimbados. Além disso, em que condições o campeão do Amazonas vai para a Copa do Brasil? Tendo de montar um elenco as pressas, abrindo mão de entrosamento, tempo de preparação, entre outras coisas. Mas como já dissemos, não conheçemos a realidade do futebol local, então tudo o que podemos falar é com base em preceitos gerais do futebol.

Seja como for, estamos pesquisando, e se mudanças ocorrerem, vamos informar.

domingo, 5 de dezembro de 2010

América Latina

Faz relativamente pouco tempo (mais especificamente, em outubro desse ano) que ocorreram manifestações de caráter xenófobo num jogo entre Indepiendente e Boca no Campeonato Argentino, no qual os torcedores Rojos (Ind.) arremessaram berlinesas e paraguas, em alusão aos bolivianos a aos paraguaios que residem no país, além de cantarem "quem não pula é da Bolívia ou do Paraguai". Num outro episódio, também envolvendo o Boca, um grupo de torcedores do Rosário Central estavam chamando os Xeneizes (Boca) de bolivanos.

Estes, entre outros episódios, têm vários elementos em comum. Invariavelmente, envolvem o Boca, time de maior torcida do país. Milhares de bolivianos e paraguaios saem de seus países buscando melhores condições, muitos vão para o Brasil, mas um número muito superior vão para a Argentina, Chile ou Uruguai, pois estes possuem um nível econômico relativamente alto, além do idioma ser algo próximo, lembrando que para as camadas pobres desses países, o castelhano é um idioma próximo, mas eles convivem de fato com as línguas indígenas, sobretudo o aímara e o guaraní, respectivamente. Quando chegam na Argentina, optam por torcer para o Boca.

O outro ponto é mais abrangente que o esportivo. Todos esses incidentes aconteceram na grande Bueno Aires ou zonas próximas. Tais regiões tem como tipo étnico majoritário descendentes de europeus, europeus que foram trazidos para o país para trabalhar e realizar o plano de embranquecimento da população, visando eliminar qualquer traço de cultura indígena. Além de imigrarem europeus, também provocaram um verdadeiro genocídio contra as populações indígenas. Mas isso só ocorreu de maneira efetiva nas regiões já citadas. No restante do país, o traço étnico é completamente diferente. Nas regiões mais afastadas da grande Bueno Aires, o elemento indígena e majoritário. Se bolivianos ou paraguaios fossem jogar nessas regiões, cremos que não sofreriam esse tipo de situação.

Tal preconceito não é só de caráter étnico, mas de classe, e tal discurso racista e xenófobo é adotado pelas elites locais e pelas classes médias, que acabam se manifestando dessa forma sempre que podem. Muitos, insistindo no mito da igualdade racial, dizem que isso não ocorre no Brasil, embora xingamentos de "paraíba" para os nordestinos ou "índios" dirigidos para nortistas sejam comuns, entre outros estereótipos, que geralmente, caem em cima daqueles que pouco possuem materialmente, mas que para alguns setores da sociedade, possuem muita culpa por diversos problemas.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Campeonato Paulista

Para os clubes do interior, já começa a pré-temporada para o Paulistão. O estadual agora está mais acessível, já que são oito os que vão para a 2ª fase, e no mata-mata, tudo é possível. Além disso, existem as vagas para o Brasileiro da Série D e a Copa do Brasil, que garantem atividade para o 2º semestre e para 2012, respectivamente. E é claro, a disputa contra o rebaixamento.
O primeiro que abordaremos será o Mogi Mirim. O critério que nós escolhemos não é muito sério, pra falar a verdade, a seriedade esteve longe dessa escolha. E a foto de Rivaldo sendo apresentado por si mesmo nos incentivou a escrever sobre o Sapão da Mogiana. O Mogi Mirim está contratando jovens, além de usar jogadores de sua tradicional base. Mas a aposta vai na direção dos veteranos. Além de Rivaldo, também foram contratados o atacante Denílson, de 34 anos, e que foi artilheiro do último Mundia Inter-Clubes pelo sul-coreano Pohang, e o experiente meia Paulo Isidoro, de 37, que estava rodando pelo Nordeste. Todos estão otimistas com o Paulistão, mas é preciso ter cuidado, pois apesar de todo o otismismo do ano passado, a equipe brigou pra não cair, e só escapou por uma série de 5 vitórias seguidas. Vejamos o que o Mogi vai fazer.

Campeãs (o que não diminui o descaso)



No último dia 27, a equipe do Santos empatou em 1 x 1 com o São José, no Pacaembu, e como empatou em 2 x 2 em São José, ficou com título, de maneira invicta, e com uma campanha incontestável; em 26 jogos, foram 21 vitórias, 5 empates, 82 gols marcados e apenas 11 sofridos. Tal campanha culminou na convocação de 9 atletas do Santos para a Seleção Feminina. Num estranho parelelo, essa final foi bem parecida com a do 1º semestre, em que um time do Santos, que encantava o país, esbarrou num grande Santo André, e as duas equipes fizeram uma das melhores partidas do ano. Assim foi no futebol feminino, em que o São José não fez uma campanha tão espetacular como a do Santos, mas tinha um grande time, que repetiu o feito do time masculino de 21 anos atrás, que foi vice paulista contra o São Paulo. Só que na final do feminino, ao contrário da do 1º semestre, o São José não foi assaltado pelo juiz.

O descaso vai no sentido de até hoje, nenhum site, nem os das duas equipes, divulgarem as fichas das partidas, aí não dá pra saber quem estava em campo, e embora divulguem quem fez os gols, isso não é o bastante. E mais importante, a imprensa brasileira não falou uma frase sobre o campeonato.

Dois pesos...


...Duas medidas. Foi o que vimos recentemente com o Velo Clube. Na final da Segnda Divisão, o Velo teve de jogar o segundo jogo em Piracicaba (ver mais aqui; futebolinteriorano.blogspot.com/2010/11/campeao.html ). Por isso, a torcida do Velo fez um protesto pacífico, só que dirigido exclusivamente para a Federação Paulista. Nisso, o Velo foi punido com a perca de 6 mandos de jogos, além de uma multa de R$50 mil, o que para uma equipe da Série A3, é dinheiro para dificultar, e muito qualque planejamento.

O título do post vai no sentido de que com clubes de 1ª Divisão, ou que nutrem bom relacionamento com a FPF, tudo é muito diferente. Corinthians e Palmeiras, depois de depredações no estádio do Pacaembu, além de outros graves incidentes, perderam apenas dois jogos de mando. E na própria Série A3, o mais novo clube empresa, o Comercial de Ribeirão Preto, foi amplamente beneficiado, depois de um jogo contra o XV de Piracicaba, em RP, em que o juiz foi agredido, o próprio Coronel Marinho levou uns petelecos, houveram tentativas de derrubar o alambrado, além de invasão de campo. Resultado disso tudo; 1 jogo de perca de mando de campo.

Cabe ao Velo entrar com recurso, o que já está sendo feito pela diretoria velista.

domingo, 28 de novembro de 2010

Campeão!!!



Hoje, o Paulista de Jundiaí venceu o Red Bull Brasil e conquistou o título da Copa Paulista, e assim, o direito de disputar a Copa do Brasil de 2011. O primeiro tempo foi tenso, com as duas equipes com medo de se soltarem, com o Paulista errando muitos passes. Tirando a atmosfera de final, foi um jogo chato.



Logo no começo do 2º tempo, o Red Bull abriu o placar, com Alex Rafael, depois de falha bizonha do goleiro Vinícius. Nisso, o Paulista passou a presionar, até que conseguiu um penâlti. O artilheiro do time, Hernane, foi pra bola. Na cobrança, tirou o goleiro e acertou a trave. Mesmo assim, o Paulista não se abatia, e o Red Bull apostava nos contra-ataques. Mas a partir dos 30, o técnico do RB, Márcio Fernandes, recuou muito o time, chamando o Paulista, empolgado e jogando em casa, para o seu campo. O Paulista precisava do empate para ficar com o título, e foi pra cima, tanto que num escanteio, o goleiro foi para o ataque. Nesse mesmo escanteio, aos 44 do segundo tempo, Rodrigo Sabiá fez o gol do título.

Tecnicamente, teríamos de ser imparcias. Mas quem aqui liga pra imparcialidade? Estávamos todos torcendo pelo Galo da Japí, pois discordamos totalmente desse modelo de futebol mercantilizado, que não respeita nada a não ser o lucro. Realmente, é muito bom ver uma equipe genuinamente interiorana superar esse time.

Ficha técnica:


Paulista: Vínicius; Henrique, Rodrigo Sabiá e Fábio Gomes; Samuel Xavier, Serrano (Carlão) Nenê Bonilha, Rato (Marquinhos) e Rodolfo (Fabrício); Hernane e Michel; Técnico, Fernando Diniz

Red Bull: Luiz Fernando; Renato, Oliveira, Eduardo e Jefferson; Dudu, Edson, Felipe Piovesan e Júlio César; Alex Rafael (Alisson) e Henan (Ray); Técnico, Márcio Fernandes

Por isso que não foi...



No começo do ano, a prefeitura de Taubaté recebeu uma doação, um burro. Mas o que é possível se fazer com um burro? Não muita coisa. Mas lembrem-se, o mascote do EC Taubaté é um burro. O animal foi customizado para dar boa sorte, mas infelizmente, o taubaté não conseguiu ascender da Série A3 para a A2.


Mas, aconteceu algo que nínguém esperava. Na verdade, o animal era um jumento! Todos ficaram desolados, mas não descontaram no animal, bem, pelo menos no "burro", pois o sujeito que doou o animal recebeu o título de persona non grata, embora ninguém o conheça. Ainda assim, por motivos desconhecidos, o jumento acabou sumindo, e ninguém na cidade sabe de seu paradeiro. Para o ano que vem, a prefeitura promete disponibilizar um burro genuíno, visando alavancar a campanha e a popularidade do time, evitando incidentes como os de 2009, em que os 18 mil espectadores gritavam "Burro! Burro!", e a equipe da Rede Vida pensou que fosse com o técnico...

Máh! Olha só...


Não sei se todos aqui conhecem Oleguer Presas. Oleguer ficou famosos por ser um dos jogadores mais toscos do Barcelona. Tá bom que fica fácil parecer ruim no time do Barcelona, mas Oleguer não só parecia, era fraco. E ainda é, tanto que é reserva no time do Ajax, que não se compara ao mítico Ajax dos anos 70 e ao time da década de 90 que surpreendeu o mundo. Mas ele é esforçado, tanto que diversas vezes jogou contundido e improvisado (pois ser ruim e não ser esforçado é esculachar).


Mas uma notícia nos surpreendeu recentemente. Oleguer estava presente numa manifestação dos Sem-Teto de Amsterdam, dando total apoio, e passando desapercibido, exceto por alguns torcedores do Ajax e por alguns jornalistas que cobriam a manifestação, que o viram. A diretoria do Ajax logo se manifestou, dizendo que não tinha nada a ver com aquilo, e que eram opiniões pessoais do atleta. Pesquisando, descobrimos que um fator que atrasou sua carreira foi a sua graduação em Economia. Oleguer, apesar de sua (falta de) técnica, era amado pelos barcelonistas, pois se posicionou a favor da indepedência da Catalunha, com um viés esquerdista, além de fazer críticas públicas ao fascismo no futebol a ao ascenso da direita na Europa. Em seu livro "Camí d'Ítaca (Caminho de Ítaca), aborda esses fatores políticos, além das reações ao título do Campeonato Espanhol do Barcelona em 2004-05. Mas polemizou quando escreveu um artigo em basco defendendo uma liderança do ETA que estava presa, além de se posicionar de maneira favorável não só a indepedência catalã, mas do País Basco e de outras províncias que divergissem de Madrid. A reação a isso foram fortes críticas em Madrid e a perca do apoio da forncedora Kelme (que alegou apoiar atletas, não políticos), e a aclamação no País Basco e na Catalunha.


Isso é uma das coisas mais inusitadas que passaram por aqui nesse um ano e quebradinho do blog, mas é algo legal. Damos nosso apoio a Oleguer, e que um dia, ele possa aprender a joga futebol em alto nível, para poder fazer uma boa apresentação no jogo beneficiente em Chiapas, que está combinando com o Sub-comandante Marcos. (ps: estou em dúvida em qual seção coloco isso, pois é político, mas é folclórico)

domingo, 21 de novembro de 2010

Pendenga na Javari



Recentemente abordamos uma pendenga envolvendo o Juventus da Mooca ( futebolinteriorano.blogspot.com/2010/11/doacao.html). Bem, aí vai outra. A diretoria conseguiu parte da iluminação do Palmeiras, mas ao invés de destina-lá ao estádio Conde Rodolfo Crespi, a popular Javari, a deslocou para a sede social do clube. Isso emputeceu os torcedores, que afirmar que a atual diretoria acabaria com o futebol profissional se tivesse oportunidade, e que são incompetentes, pois com todo o carisma e tradição do Juventus, poderiam facilmente angariar patrocínio. Mais informações em breve.

Eleições



O Flamengo de Guarulhos promoverá eleições. Se bem que "promoverá" é força de expressão, pois só uma pessoa se candidatou. Não, não será Edson David. Trata-se de Nasser El Fakih, pessoa tida como séria por parte da torcida.


E parece que as coisas estão caminhando bem para o Flamengo. O Corinthians cancelou sua parceria com o Nacional da capital, e direcionou seus recursos para a equipe de Guarulhos. Vários atletas do Corinthians que não serão aproveitados irão para o Flamengo, que ganhará no pacote um treinador, Freddy Rincón. Marcelinho Paulista, ex-jogador da equipe do Parque São Jorge, gerenciará a parceria, que permitirá um economia de aproximadamente R$100 mil. Além disso, as reformas no Estádio Antônio Soares de Oliveira já começaram...bem, pelo menos a limpeza do entulho antigo, mas já é um começo. Pois com as obras em Itaquera, para a construção do Fielzão, as categorias de base do Alvi-Negro Paulistano não poderão ficar lá. Nisso, irão para Guarulhos.


A nova diretoria está fazendo todo um planejamento para recolocar o time na Série A2, e de lá, um inédito acesso para a elite do futebol Paulista

Copa Paulista




Ontem foi disputada a primeira partida das Finais da Copa Paulista, que dá ao vencedor o direito de participar da Copa do Brasil. No Moisés Lucarelli, em Campinas, o Red Bull empatou em 1 x 1 com o Paulista de Jundiaí, num jogo disputadissímo, com um tempo de cada time.

Na primeira etapa, o Paulista dominou, não dando nenhum epsaço para o Red Bull atacar, além de encurralar o adversário na defesa, mas não conseguia trasnformar o domínio em chances claras de gol, até que aos 30 min. Fábio Gomes deu um tirombaço de fora da área para cravar Paulista 1 x 0 Red Bull.

Já na segunda etapa os papéis se iverteram, com o Red Bull pressionando o Paulista. Mas assim como a equipe de Jundiaí, os mandantes não conseguiam transformar o domínio em gols. Mas aos 21 min., Bruno Martins, do Paulista, toma o 2º cartão amarelo e é expulso. E dois minutos depois, num lance de bola parada, a bola foi lançada na área e Oliveira empatou para o Red Bull. Apesar das várias tentativas seguintes, o empate persistiu, e o no próximo domingo, 10:00 h., no estádio Jaime Cyntra, em Jundiaí, o Paulista só precisa de um empate para ficar com o título, já que tem uma campanha melhor que o Red Bull, (44 pontos do Galo da Japí contra 42 do RB) podia jogar por 2 resultados iguais, e como já conquistou um...

Aí vai a ficha do jogo:

Red Bull; Luiz Fernando; Gaúcho (Alisson), Oliveira, Carlinhos e Jefferson; Renato, Hudson (Jackson) e Felipe Piovesan; Alex Rafael, Henan e Ray (Júlio César); Técnico; Márcio Fernandes

Paulista; Vinícius; Samuel, Marcelo Xavier, Rodrigo Sabiá e Marquinhos (Rodolfo); Fábio Gomes, Bruno Martins, Nenê Bonilha e Serrano (Henrique); Hernane e Mike (Dema); Técnico; Fernando Diniz

Série C



No Estádio Frasqueirão, em Natal, o ABC-RN conquistou o título da Série C do Brasileiro ao empatar em 0 x 0 com o Ituiutaba-MG. Isso porque venceu os mineiros por 1 x 0 no primeiro jogo, em Uberaba, já que o estádio do Ituiutaba, a Fazendinha, têm capacidade para 3, 840 pessoas, insuficientes para atender os critérios da CBF para disputa de finais. Além disso, o Ituiutaba, se quiser jogar em sua cidade na Série B do ano que vem, terá de ampliar seu estádio, já que a capacidade mínima exigida é de 10,000 mil espectadores, algo que nós vemos como exagerados, tendo como base os números da média de público da competição, onde poucos times atingem essa marca.

Seja como for, o jogo foi muito equilibrado, com ambas as equipes buscando a vitória, mas como o ABC estava com a vantagem, pôde jogar com mais tranquilidade, e faturou o título, o primeiro de nível nacional em sua história. Além dos dois finalistas, subiram Cricíuma_SC e Salgueiro-PE. Aí vai a ficha do jogo:

ABC; Wellinton; Sueliton, Thiago Garça, Leonardo e Renatinho Potiguar; Marcílio, Ricardo Oliveira (Éverton César), Pio e Jackson (Claudemir); Cascata (João Paulo) e Leandrão; Técnico; Leandro Campos

Ituiutaba; Luiz Henrique; Totonho, Ferron, Cléber Carioca e Stanley (Claudio); Olívio, Claudinei, Dé (Vitor Rossini) e Ualisson; Gilsinho (Peri) e Fabiano; Técnico; Nedo Xavier

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Mais XV



No último dia 15, também foi aniversário de outro tradicional time da região, o Esporte Clube XV de Jaú, o querido Galo da Comarca, completou 86 anos. O clube é um dos mais conhecidos do estado, tendo participado por diversas vezes na elite do Paulistão. O clube passa por um momento difícil, e assim como o de Piracicaba, está na Série A3.








Corinthians vs XV de Jaú, no Pacaembu, em meados da década de 50




O clube é um dos mais vitoriosos da região, tendo sido uma vez Campeão do Interior (51), além de ter conquistado a Série A2 por duas vezes (71 e 76). Seu último título foi um Sub-20 Paulista, em 2005. Depois de um rebaixamento traúmatico em 2009, o clube fez uma campanha digna na Série A3 desse ano, mas acabou sendo eliminado na 2ª fase, a que iria definir o acesso. Só ficou a frustação de não ter podido contar com o retorno de Kazu, um dos maiores ídolos da história do clube. Kazu foi o primeiro japonês a atuar no Brasil, e ficou nacionalmente conhecido jogando em Jaú. Graças a Kazu, boa parte da renda do clube vinha de camisas com o nome de Kazu exportadas para o Japão, precedendo Zico e o Flamengo no Japão. E Kazu avisa, que está tentando fazer com que seu clube, o Yokohama, o libere para jogar a Série A3 do ano que vem, e se não consguir isso, pelo menos o seu último jogo como profissional será pelo XV, o que provavelmente vai demorar um pouco, já que ele quer quebrar o recorde de Stanley Mathews, que jogou até os 50 anos (quando foi forçado, por outras pessoas, diga-se de passagem, a parar de jogar)




Seja como for, que o estádio Zezinho Magalhães volte a abrigar jogos do mais alto nível.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Caxára de Fórfi...

Caxará de Fórfi
Carcanha de Grilo
Asa de Barata
Garrafão de Pinga
Nhéque de Portera
Jaqueta de Corô
Já que tá que fique!
3 veiz 5 é...
XV!XV!XV!

Com essa música parabenizamos o Esporte Clube XV de Piracicaba, por seus 96 anos de vitórias, sofrimentos e lutas. Um dos maiores Campeões do Interior Paulista ( 4 Títulos do Interior e 4 da Série A2) o XV é um dos poucos times da região que possui um título a nível nacional, a Série C de 95. Foi o primeiro time do interior paulista a chegar a uma final de Campeonato Paulista, em 76, quando perdeu para o Palmeiras, depois de jogos extremamente difíceis.

O XV vem passando por momentos difíceis, mas sua fiel torcida nunca o abandonou, e o Barão de Serra Negra continua, e continuará sendo, um caldeirão. Fica nosso apoio à essa tradicionalíssima equipe do interior paulista.

Mas para o que não é da região, fica a pergunta; Vila Abobrinha fica perto de Piracicaba? Nós sabemos, mas não diremos nadinha nadinha...


Além disso, o XV é prolífico em manifestações artísticas. O cartunista Rondineli, nativo da cidade, e um dos artistas mais conhecidos da região, concebeu um dos mais emblemáticos personagens do futebol caipira; o Nhô Quim.
E outro artista da região, o cantor Juninho Caipira, compôs uma das obras primas do cancionero futebolístico; "Viva o XV de Piracicaba":
Arrastei o meu banquinho e me sentei lá num cantinho
Por que veio a inspiração
Para contar essa história, gravada em minha memória
E que me traz emoção
Eu ainda era pequeno, sete anos, mais ou menos
Me tornei conhecedor
Que havia na cidade um time bão de verdade
E já fiquei torcedor
Ouvia o rádio anunciar que o time ia jogar
E eu queria ir torcer
Sentar na arquibancada e ir vibrar com as jogadas
Que o time ia fazer
E foi assim, certo dia, para minha grande alegria
Meu pai me fez um negócio
No Clube, ele me levou, e lá mesmo me entregou
Minha carteira de sócio
Então eu podia ir...lá no estádio, aplaudir
Pular, vibrar de emoção
Disso tudo, ainda lembro, ver o XV de Novembro
Meu time do coração
O uniforme zebrado, tão bonito e respeitado
Pelos times brasileiros
No gramado, o XV entrava e a vitória conquistava
Um esquadrão verdadeiro
O XV ficou famos, até em jogo amistoso
Era difícil perder
Jogava sempre com raça, e no final...levava a taça
Fazia por merecer
Pro XV, não tinha páreo! Qual fosse o adversário
Fazia termer o Barão
As vitórias em fileiras, contra o Santos, São Paulo, Palmeiras e Corinthians, do povão
Olha moço! Muito tempo já passou, mas quinzista ainda eu sou
E vou continuar assim
Porque essa paixão não acaba
Então viva Piracicaba
E viva o querido Nhô Quim


Série D

Depois de um empate em Santarém, o Guarany de Sobral fez valer seu mando de campo e venceu o América do Amazonas por 4 x 1 no Estádio do Junco, e ficou com o título da competição, o 1º título a nível nacional de um clube cearense.


O artilheiro Danilo Pitbull marcou 2 vezes (22 do 1º e aos 31 min do 1º tempo), dando uma boa vantagem para o Cacique do Vale. Mas confirmando os prognósticos, o América foi pra cima, e logo no começo do 2º tempo, Clailsson marcou. Mais um gol e a vantagem era do América, por isso, os amazonenses foram pra cima, o que abriu espaços, que foram bem aproveitados pelos cearenses. Vanderlei, aos 11do 2º, e Diones, aos 17º, marcaram e confirmaram o título.





Além do Guarany, o Madureira-RJ e o Araguaína-TO subiram. Devem ter estranhado que não citamos o América nesse grupo. Bem, no jogo que definiu o acesso, contra o Joinville, em Santa Catarina, os amazonenses escalaram o zagueiro Fofão, que estava suspenso, por ter tomado 3 cartões amarelos. Nisso, o Joinville entrou com recurso na CBF, e passou a pleiteiar a vaga do América. Por sua vez, o time de Manaus se defende, argumentando que se descuidou, e que o atleta sequer entrou no jogo. Seja como for, isso ainda vai dar pano pra manga...


Aqui vai a ficha do jogo:


Guarany; Vantuir; Alberto, Tobias, Junior Alves e Clailsson; Ricardo, Carlos, Thiago Granja (Diones) e Bismarck; Danilo Pitbull (Léo Olinda) e Vanderlei (Jean); Técnico; Oliveira Canindé

América; Naylson; Catatau, Guará, Santiago e Rondineli; Bigú, Batista, Cleyton e Luís; Felipe e Ivan (Edinho); Técnico; Sérgio Duarte

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Greve Geral

No começo desse ano, explodiaram vários processos de Greves Gerais por toda o Mundo, principalmente nos países da "periferia" européia, como Grécia, Espanha, Letônia, entre outros. Em jogos da Liga dos Campeões, viamos uma série de manifestações, algumas até surpreendentes, como dos torcedores gregos do Panathinaykos, que não possuem uma tradição de compatividade.

Aqui vão umas fotos de um fenômeno bem interessante. Na Turquia, vários torcedores, de diversos clubes, se solidarizaram à greve dos trabalhadores da petrolífera UPS, que depois de 150 dias de resistência, foram demitidos, mas mesmo assim, continuaram a lutar. E lá estavam os torcedores, dialogando e batendo uma bola com os trabalhadores.










domingo, 14 de novembro de 2010

Doação



Devido às reformas no Palestra Italia, o Palmeiras doou algumas coisas que não iria usar mais. Fundamentalmente, dois clubes foram beneficiados, o Juventus e a Portuguesa.

Sobre o Juventus, todos que já foram para a Javari sabem que o estádio é muito simpático, charmoso, entre outros adjetivos. Ver um jogo na Javari é algo único, só que isso só pode acontecer pela manhã, já que o estádio não possui um sitema de iluminação. Além disso, o gramado estava um tanto quanto castigado depois de um típico verão paulistano e de uma maratona de duros jogos da Série A3
Nisso, o Juventus se candidatou para receber o que o Palmeiras não usaria mais. Nisso, o estádio da Javari receberá um gramado novinho. Aí você pensa, "então o finalmente poderei ver jogos na Javari de noite?" Não, você não poderá, pois o sistema de iluminação foi pra outro lugar. "Mas para onde? O Palmeiras jamais doaria algo para o Morumbi (São Paulo FC), e a Fazendinha (Corinthians) não recebe jogos oficiais. O Pacaembu é de propriedade municipal, logo isso é responsabilidade da prefeitura da cidade. Até o Nicolau Alayon (Nacional) têm iluminação."


Tudo isso é verdade, mas não levamos um estádio em consideração: o Canindé. O Canindé é de propriedade da Portuguesa, que possui um histórico recente de esculhambação. Mas iluminação, isso a Lusa tinha, mas uma reforma sempre é bem vinda. Mas a torcida juventina está emputecida com isso, pois a diretoria atual não conseguiu captar um recurso vital para o time, e vindo de doação ainda por cima. Isso sem contar o rebaixamento para a Série A3, algo inédito na história do clube.


Todos nós torcemos pelo Juventus, e que esse momento caótico acabe o mais rápido possível.

Fim de Parceria



Parece que a parceria entre o São Bernardo FC e o Grêmio Mauaense está chegando ao fim, depois de uma campanha abaixo do esperado do Grêmio, que não conseguiu ir muito longe na Segundona Paulista.

O presidente do São Bernardo, Luis Fernando Teixeira, confirmou parcerias com o XV de Jaú e o Ivinhema, do Mato Grosso do Sul. Sobre a permanência da parceria com o Grêmio, ele não quis se pronunciar. Ao que parece, ou a prefeitura de Mauá ou a diretoria do Grêmio não cumpriram com sua parte na parceria.

Nisso tudo o que mais preocupa é a situação do Grêmio para o ano que vem. Os recursos vindos do São Bernardo possibilitaram a disputa, mas sem eles, ficará difícil. Mas em se tratando de Grêmio Mauaense, muito pode acontecer. Já se especula que o eterno presidente Joaquim Ferreira Neto, o popular Jakim, chegue ao fim. Especula-se que o também popular Zé Maria volte.
O São Bernardo talvez não possa cancelar a parceria por alguma questão contratual, mas se por acaso conseguir, dificilmente o Grêmio disputa algo ano que vem. Caso consiga, os recursos destinados para Mauá diminuirão muito, o que dificultaria a gestão da Locomotiva Mauaense. Veremos no que isso vai dar.